Litros nos olhos 

Nunca tive a fama de chorona, mas minha mãe sempre me chamou de “manteiga derretida”. Nos últimos meses devo ter chorado os 75% de água do meu corpo umas 2.000 vezes pelo menos.

Já tive dias de chegar no fim dele com a cara tão inchada que não me reconheci, outros em que prometi que seria o último, outros em que as lágrimas simplesmente corriam, sem esforço algum… só sentia aquela sensação quente.

Eu praticamente virei expert em choro (mas não de criança).

Tem choro que te alivia. Sabe quando você tem aquela sensação que vai explodir? E aí aquelas lágrimas viram válvula de escape.

Já tive choro de lembrança, de estar lá dirigindo (ou fazendo outra coisa), tocar uma música no rádio, e disparar um “raio chorador” dentro de mim.

Tive esses choros que falei lá em cima, que parecem ter vida própria, quando você vê, as lágrimas só escorrem.  Tem o “choro de filme”, que é pura emoção, e que acho que todo mundo já experimentou pelo menos uma vez (confesso que já chorei com uma propaganda também).

Tem também o “choro chuva”, que é relâmpago-trovão, as lágrimas escorrem e você soluça ao mesmo tempo… também é bem instável, pode ser rapidinho ou você pode ficar um tempão assim.

Há uns dias atrás, na verdade, há quase um mês… deu uma tristezinha, pensei “lá vem a choradeira”, mas simplesmente eu estava seca… a cabeça fervilhou de novo “será que chorei tanto que agora acabou”? O bom é que isso fez eu desviar o foco e logo não havia mais motivo para abrir a torneirinha.

Um tempo depois tive um choro de alívio, “ufa, tô funcionando”. No dia seguinte os meus olhos umedeceram de novo. Eu na época estava bem baqueada e fui acordada com um bom dia e um eu te amo, ali foram gotinhas de alegria, que me lembraram que lágrimas também servem para isso…. rs

Estar vivo é sentir as coisas, do jeito que for… e parece que temos um filtro, que dependendo do conteúdo coloca o que é ruim para fora da gente em forma de choro… e quando é bom, pode ser por excesso de felicidade que não cabe na gente.

Hoje meus olhos ficam mais úmidos por sono, as tristezas já rarearam bastante… e que daqui para frente, as lágrimas que rolarem sejam mais que 90% de alegria.

 

Escrevi ouvindo: A Pocketul of Shells – Mat McHugh

P.S. – um fato importante (pelo menos para mim), meus olhos mudam de cor quando eu choro.

Anúncios

=]

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s