primeira de muitas noites

Um pouco antes da minha vida virar uma bagunça (há uns bons meses atrás) eu estava comemorando o fato de em anos estar dormindo sem precisar de medicação. Não que tudo estivesse um mar de rosas, mas para quem sofre de insônia desde pequena (foi assim que eu assisti com menos de 10 anos “…E o vento levou” inteirinho numa sessão do Corujão), era um super feito.

Existe aquele dilema no mundo das pessoas que praticam o “esporte” de não dormir: deve-se tomar ou não remédios. A polêmica de ficar viciado em “indutores de sono” é antiga e no fundo sempre foi um fantasma para mim.

Mas olha só, para que a gente funcione direitinho (inclusive não ter depressão, etc) e ser muito, muito feliz é importante beber uma quantidade suficiente de água por dia (até para ser feliz você tem que tomar água… ahaha), praticar exercícios físicos regularmente (não precisa ser super maromba), alimentar-se de uma forma saudável (mas não neurótica por favor, prazeres são essenciais na vida) e claro, dormir bem.

Aí fica a escolha de cada um que anda de mãos dadas com a nossasenhoradadificuldadededormir (por qualquer motivo que seja):

  1. Não tomar remédio, praticar todas as posições angustiantes da ausência de sono na cama, ver o sol nascer e ficar p**o porque o outro dia vai começar e você nem terminou o anterior, ou…
  2. Tomar o remédio e dormir. (ponto)

É claro que existem vários tipos de remédios (não sou especialista): o que funciona como um “botão liga/desliga”, o outro que te deixa mega lento por pelo menos metade do seu dia “útil”, e tem também aquele que atua numa área do cérebro para livrar a gente dos pensamento obsessivos (às vezes não dormimos só porque não conseguimos parar de pensar)… pode ter mais uma infinidade de “super pílulas” mas eu só tive contato com esses três tipos, e para mim, a que funcionou e me acompanha há uns anos é a última.

Bem, eu estou falando disso porque a fase que eu era só um “rascunho de Ju” esta acabando (tá nos 45 minutos do 2º tempo já), e nesses meses, para conseguir dormir… às vezes só uma substância não dava conta (tinha que acalmar, relaxar… deixar os pensamentos irem embora).

A verdade é que eu “me peguei pela mão” e estou mostrando o mundo com todo carinho que alguém pode ter por si, afinal é com muito amor que a gente precisa se tratar, e ontem pensei… Tô preparada! Hoje é o dia! E assim, pela primeira vez em meses fui lá, esquentei o pé, dei uma rezadinha básica, fechei os olhos e aí….. só acordei hoje de manhã. EU DORMIR SEM QUETIAPINA!

Se hoje será assim de novo? Não sei. E se eu precisar de “ajuda” para dormir de novo vou me “entregar”? Vou sim, e sou super grata por ter essa possibilidade, mas…

…um dia de cada vez, que tudo só melhora.

 

Escrevi o post ouvindo Ship To WreckFlorence + The Machine … porqueeeeeee

Don’t touch the sleeping pills
They mess with my head
Dredging the big white sharks
Swimming in the bed

Anúncios

=]

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s